O náufrago náugrafo ©
Categoria: Literatura

Quem diria que aquele discreto post inaugural fosse desaguar nesse jorrar praticamente sem pausa de postagens!! Posso dizer que agora, sim, sou um náuGRAFO – navego pela escrita quase todo dia. E o que resulta dessa navegação vem aportar aqui na tela. Eu, náugrafo; o raro leitor, náufrago. O pouco a pouco de todo dia virou um verdadeiro tsunami – olho pro tanto que já escrevi e me assusto. Sem me dar tanto pela coisa, percebo com espanto que venho realizando a façanha do embate diário (embora mínimo) com a escrita – o embate que nunca foi adiante em exercícios passados. Assustado com a minha constância (como nunca antes na história deste náugrafo), me pergunto: até quando? Não sei. Só sei que o fôlego ainda se mantém. E navegar é preciso. Quando acabar o fôlego, viro um náufrago, ou ex-náugrafo. Que assim não seja!

© Nota de canapé: Poema do Paulo Leminski. Está no livro Distraídos venceremos e pode ser lido aqui.


(0)





© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress