Escreventes ©
Categoria: Literatura

Li um texto do escritor Paulinho Assunção em que ele repassa de forma comovida sua trajetória, que inclui o modestíssimo ofício de limpador de letras (ou de tipos móveis). Em certa altura, ele fala dos livros nascidos e por nascer. Os por nascer são “aqueles que possuem apenas uma única frase no seu corpo ainda feito de deserto”. Tudo isso para dizer que o blog foi, durante um bom tempo, somente uma ideia no imenso espaço ainda feito de vazio. Ideia sem corpo, sim, mas com asas potentíssimas – tanto que acabou ganhando o céu do ciberespaço.

Li no blog do Sergio Vilas Boas que “escritores são frágeis construtores de fragilidades”. E sobre escrever, esse comichão que acomete incautos de vária estirpe, ele diz: “Apenas criaturas obsessivas e com egos superestimados têm chances de sobreviver ao naufrágio”. Um frágil construtor de fragilidades só pode ter como destino o naufrágio. Naufrágeis (não resisti ao neologismo) por natureza, é um espanto que haja por aí tantos (e tontos) escreventes. Eu, mais um deles. Mas não é minha intenção “encher de vãs palavras muitas páginas e de mais confusão as prateleiras” (Livros – Caetano Veloso). As vãs palavras vêm para o céu do ciberespaço. Terão algum brilho capaz de atrair olhares distraídos?

 

© Nota de canapé: Belíssimo poema de Paulinho Assunção. Vale a pena ler. Aqui.


(1)


    Eudes Arduini
    4 de junho de 2011

    Naufrágeis, eheheh… Vou colecionar seus neologismos também !
    Grande abraço, amigo.






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress