Elogio da leitura ©
Categoria: Literatura

Sou um “ledor” sem nível. Não digo isso para me diminuir, mas para deixar claro o meu lugar. Além de indisciplinado, caótico, confuso, atrapalhado, sou agora um desmemoriado. Quer tragédia maior? A Livraria Cultura tem o seguinte slogan: “Ler para ser”. Eu vou mais longe e digo: “Ler ou não ser”. Sinto que se não lemos (e falo de leitura literária) não somos, ainda não fomos dados à luz. Para nascer precisamos da luz das palavras. A palavra é uma espécie de líquido amniótico vital. Costumo dizer que temos uma fome física e uma fome metafísica. E a leitura é o alimento para a fome metafísica. Ler é o ato de tecer, fio a fio, a rede com a qual buscaremos alimento para nossa fome metafísica. Quanto mais se lê, mais fio se coloca na rede e mais apta à captura de alimento ela fica. Sartre diz que estamos condenados à liberdade. Penso que, além disso, estamos condenados a ser. E só chegamos a ser o que estamos destinados a ser pela leitura. É por isso que digo com o meu exagero habitual: “Ler ou não ser”.

PS: Usei “ledor” em vez de “leitor” para fazer um contraponto ao que disse o poeta Manoel de Barros. Em matéria de música, ele se dizia um “ouvidor” sem nível. Em matéria de leitura, tenho de me dizer um “ledor” sem nível.

© Nota de canapé: Livro que, para um leitor apaixonado, tem um título pra lá de atraente. O autor é Gabriel Perissé, professor e doutor em Filosofia da Educação.


(2)


    Paulo
    30 de março de 2011

    Olá Tarlei.
    Acessei, achei que não ia ler, mas acabei lendo muito.
    Parabéns!
    Sempre tive dificuldade de “realizar” a leitura necessária e sempre sinto falta disso na minha vida.
    Sempre atribuí isso à falta de tempo, mas hoje entendo que na verdade é pela falta de tê-la exercitado na minha educação fundamental e, pela ausência desse exercício e de exemplos, não adquiri o hábito.
    Ainda acho que terei que lutar para adquiri-lo e poder me deleitar com o sabor que, em suas palavras, percebo ter.

    Grande abraço.


    Tarlei
    30 de março de 2011

    Olá, Paulo!
    Muito obrigado pela gentileza da leitura e pelo comentário!
    De fato, sou um leitor apaixonado. Minha história de leitor começou tarde, muito tarde. Por isso penso que, se o exercício da leitura desde cedo é fundamental e desejável, não é determinante para que alguém vire leitor. Acredito que a leitura está entre as habilidades que trazemos na bagagem genética. Há quem tem tenha habilidade para a pintura, para tocar um instrumento, para a atividade desportiva etc, habilidades que despontam desde cedo… E quando se tem a habilidade, o encaminhamento para desenvolvê-la é quase natural…
    Grande abraço,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress