Sétima arte ©
Categoria: Música

A arte que primeiro me fisgou foi a da música. Era a arte mais ao alcance, bastando ter um rádio. E quando falo música, estou falando em música com letra. A música foi senhora do meu gosto pela arte por muito tempo, até à entrada da literatura na minha vida. A literatura veio devagar, mas depressa ocupou a primazia do meu interesse por arte. Falo em primazia sem certeza. Acho mesmo que música e literatura estão lado a lado em importância na minha vida. Já o cinema – e para grande prejuízo meu – demorou muito a figurar entre as artes de que não abro mão. Ter conhecido duas amigas apaixonadas pela sétima arte tem tudo a ver com isso. E o cinema, sendo a sétima arte na ordem de sua fixação no panteão das artes, é a terceira na minha ordem de fruição. Como eu gosto de me achar no escurinho do cinema!! Não, não gosto de ver filme pela TV. No útero escuro de uma sala de cinema gestam-se emoções profundas, sensações únicas. E ainda tem o barato maior que é poder compartilhar essas sensações: não se ri sozinho, não se chora sozinho. A magia do compartilhamento faz a emoção ficar maior, muito maior. É pena que na cidade em que agora moro só haja a opção dos cinemas de shopping. É mais um motivo para eu, estando em Brasília por uns dias, reservar umas horas para sonhar no escurinho do cinema.

Falei antes não ter certeza de a literatura ter a primazia na ordem do meu gosto. Volto atrás. Eu sou um devoto da palavra. E a palavra está presente na música, no cinema – daí a possível razão do apelo dessas duas artes sobre mim. Na literatura, no entanto, a palavra é soberana. E a arte que vai mais fundo nas emoções humanas só tem a palavra como instrumento. Não é sensacional?

© Nota de canapé: Disco temático da cantora/compositora Fátima Guedes, todo ele dedicado à sétima arte.


(2)


    Marineide Miranda s. Oliveira
    30 de setembro de 2014

    “E a arte que vai mais fundo nas emoções humanas só tem a palavra como instrumento. Não é sensacional?” ————– Sim!!!


    Tarlei
    4 de outubro de 2014

    Sim!!! — respondo em eco.
    Bjs,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress