O lugar do escritor ©
Categoria: Literatura

Hoje é dia do escritor. E o escritor que sou (releve!) está sem o que escrever. Numa frase: o escritor está cansado de se derramar perdulário. E o raro leitor, presumo, cansado de acolher os meus excessos. Em homenagem ao dia do escritor, bem que eu podia ficar em silêncio, bem que eu podia dar de presente o silêncio da palavra, não fosse a sina que abracei de espalhar palavras e frases, tendo ou não palavras e frases para espalhar. O escritor escritura o que vier, escritura com o que tem à mão, escritura mesmo sem ter nada à mão. Há dias em que o escritor pousa o olhar na folha em branco e nada pousa na sua imaginação. Ainda assim o escritor faz pousar na página palavras colhidas em vôo rasteiro. O escritor, escravo, cumpre a sina de lavrar com a palavra o chão da vida. Escritor pra valer está sempre em estado de ebulição da escrivatura. Um texto é como um ovo que é preciso botar, é como uma pedra que é preciso expelir, é como um grito que é preciso libertar, é como um silêncio que é preciso pronunciar. Escrever requer começo, mas é sem fim. O escritor é um pobre vassalo da tirania das palavras – ou do silêncio. O escritor é um operário da palavra. O escritor, feito um Quixote, arma-se da palavra para salvar do esquecimento acontecimentos baldios.

O destino de todo escritor? O desassossego. O lugar do escritor? Onde quer que possa escutar os ruídos da vida. O papel do escritor? A4, como bem disse o grande escritor Evandro Affonso Ferreira, dono de uma dicção literária personalíssima. Eu? Um quase escritor, autor de “Quase nada”, um livro de crônicas – ou quase!

© Nota de canapé: Livro do fotógrafo Eder Chiodetto.


(4)


    Nathalia Leão
    25 de julho de 2014

    ♫♪♫ Parabéns, Tarlei, pelo nobre ofício, ócio profícuo! Contiunue persistindo na arte do encantamento! Beijos!


    Marineide Miranda s. Oliveira
    25 de julho de 2014

    Você é imenso, menino!!!
    Parabéns pelo seu dia, Tarlei!
    Adoro te ler, adoro te ter!
    Beijos no seu coração,
    Mari


    Tarlei
    26 de julho de 2014

    Obrigado, menina Mari! Somos da mesma confraria. A gente se lê, a gente se tem.
    Bjs,
    Tarlei


    Tarlei
    26 de julho de 2014

    Muito obrigado, Nathalia! Partilhamos do mesmo ofício e por isso divido os parabéns com você e com todos os que se entregam a esse ócio profícuo.
    Bjs,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress