A pátria em chuteiras ©
Categoria: Literatura

Entendo quase nada de futebol, não sou torcedor de nenhum time, nunca fui a um estádio pra ver um jogo, e sou do time dos que já se perguntaram: “Por que não dão uma bola pra cada jogador?”. Mas somos o país do futebol e quando se trata de Copa do Mundo o fervor patriótico convoca a torcida de todos, e todos viramos entendedores de futebol. Durante a Copa, meu coração ficará verde e amarelo feito a bananeira. E logo mais seremos uma pátria em chuteiras… Apesar de ter um jeito contido e pouco dado a efusões, torço à minha maneira, sem me entregar aos berros triunfais e aos ridículos afins que costumam animar tais espetáculos… Ai, a discrição! A estréia de amanhã definirá a temperatura da minha torcida. Não lembro quase nada da última Copa. E não me esqueço da memorável Copa de 1982. Naquela Copa, sim, talvez tenha me permitido os excessos próprios de um torcedor entusiasmado: era jovem (19 anos), estava me preparando para um concurso e os jogos do Brasil eram um delicioso hiato na rotina de estudos. Que me lembre, foi a única Copa em que meu fervor patriótico se manifestou com mais vigor. A quase nenhuma memória da última Copa indica que comecei a envelhecer – com a alegria possível, espero, e sem qualquer estridência. Mas, pondo de lado a desmemória, e a um dia da estréia, é hora de dizer um “Vai que dá, Brasil!”. Olé!

© Nota de canapé: Livro do Nelson Rodrigues, um apaixonado por futebol.


(4)


    Nathalia Leão
    11 de junho de 2014

    Valeu, Tarlei! Viva as diferenças! Somos um mosaico de emoções contraditórias e buscamos viver em harmonia com as nossas vontades individuais! Sou uma torcedora apaixonada por futebol o ano inteiro, o que herdei da minha mãe que encarnava a paixão em pessoa! Viva os seus momentos e seja você mesmo! Há vida além da Copa. Eu garanto que há! Beijos!


    Marineide Miranda
    11 de junho de 2014

    Tarlei querido, amei cada letrinha! Vou compartilhar, pois como você, eu jamais torci ou tive um time de futebol, mas torço pelo Brasll.
    “Vai que dá, Brasil!”. Olé!
    Beijo carinhoso,


    Tarlei
    13 de junho de 2014

    Minha querida Marineide,
    que você seja do time que não torce pra time nenhum, é normal. Não é lá muito normal um homem sem time pra torcer. Esse sou eu…
    Bjs,
    Tarlei


    Tarlei
    13 de junho de 2014

    Valeu, Nathalia! E só pra lembrar o que diziam os velhos Titãs: riquezas são diferenças.
    Bjs,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress