O Buda ©
Categoria: Cinema
Tags: ,

Li há tempos o livro O monge e o filósofo, um diálogo entre filho e pai. O filho, um cientista destacado na área de biologia molecular, virou monge budista. Trocou o Instituto Pasteur pelas montanhas do Himalaia. O pai, um filósofo que, sob o primado da razão, põe em dúvida tudo o que diga respeito a experiências de outra natureza. O pêndulo da minha pouca inteligência e muita curiosidade oscila entre a ciência e o espírito. Não fosse eu o diletante que sou em todos os sentidos – e em todos os domínios –, é certo que o teria lido com mais proveito. O livro, infelizmente, está esgotado. O exemplar que li foi emprestado de uma amiga. A evocação do livro e da leitura é porque este 11 de maio é dia do Buda. E eu quero praticar o budismo, quero praticar o desapego, quero experimentar a serenidade para além de qualquer contingência exterior. Chego lá? Poderia começar escrevendo uma pequena prece onde eu pudesse exorcizar as tentações a que estou (estamos) sujeito(s). O espaço e o tempo já se fazem curtos. Deixo para depois. Além do mais, para escrever essa mínima prece eu precisaria de algum recolhimento, alguma concentração. Prometo tentar, algum dia.

© Nota de canapé: Excelente filme argentino dirigido por Diego Rafecas e Marcelo Iaccarino.


(0)





© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress