Todo errado ©
Categoria: Música

Não sei se com o raro leitor é assim, mas isso de se ficar indo muito a médicos serve apenas para a gente descobrir que está todo errado. Sim, somos descuidados com alimentação, postura, atividade física etc. Sim, administramos sem maiores dificuldades os desconfortos advindos desse descuido. Quando os desconfortos rompem o patamar do administrável, aí procuramos ajuda especializada. Aí vem a via-crúcis das consultas, dos diagnósticos divergentes, das prescrições idem – e a gente fica sem saber direito o que fazer, mas com a certeza: estamos todo errados. Estou passando por isso em razão de uma dor no braço – dor que só dói conforme o movimento. Minha peregrinação já incluiu osteopata, dois ortopedistas, acupunturista e fisioterapeuta. Além disso, peregrinei pelo Google em busca de informações sobre LER/Dort. O meu diagnóstico é que não estou todo errado como dão a entender os especialistas. De qualquer modo, o incômodo é bastante para eu não dispensá-los e tentar, por mim mesmo, decidir pela melhor terapia. Pelo que já li, as afecções músculo-esqueléticas têm na fisioterapia o tratamento primordial. Tudo o mais funciona como terapia complementar. O primeiro ortopedista, sem exame nenhum, diagnosticou tendinite e prescreveu fisioterapia. O segundo ortopedista não falou em tendinite nem fisioterapia. Tendinite, para ele, é só sintoma. Prescreveu uso de palmilha (por 10 meses) e acupuntura. O acupunturista pediu ecografia e eu leio que a ecografia não é o exame mais indicado para diagnose das lesões do sistema músculo-esquelético. A fisioterapeuta fechou com ombro congelado ou, em linguagem técnica, capsulite adesiva de ombro. A essa altura estou quase inclinado a fazer meu diagnóstico dos especialistas, a saber: estão todos errados – no sentido de que não houve ainda exame de precisão, indo todos apenas pela sintomatologia que apresento. Concorda comigo?

© Nota de canapé: Parceria de Caetano Veloso e Jorge Mautner.


(4)


    Angela Delgado
    7 de janeiro de 2014

    É, Tarlei. Te cuida! Ninguém melhor que nós mesmos para conhecer o nosso corpo. O pior é que os médicos de hoje se especializam demais. Imagine que fui a um ortopedista, há algum tempo, e ele me sugeriu um especialista do dedão. Deveria ter perguntado se do dedão direito ou do esquerdo…
    Um bom dia pra você, com menos dores!


    Tarlei
    7 de janeiro de 2014

    É, Angela, temos de nos cuidar. E sobre dor, repetindo algo que já disse por aqui, reforço que sou hábil em fingir que não é dor a dor que deveras sinto. A verdade é que a dor é pequena, daquelas que só doem quando eu rio, quero dizer, quando faço certos movimentos.
    Abs,
    Tarlei


    Luci Afonso
    13 de janeiro de 2014

    Tarlei,

    Quem vai resolver isso é o quiropraxista… Tem também o body talk, se vc quiser uma conversa mais profunda com o seu corpo.

    Adorei o “raro leitor”.

    Não reconheci vc pela foto, mas reparei que tem um furinho no queixo.

    Amei o seu blog. Vou juntá-lo aos meus Caminhos Literários.

    Um abraço,

    Luci


    Tarlei
    14 de janeiro de 2014

    Luci,
    muito obrigado pela dica! Vou começar pela quiropraxia.

    Mesmo não tendo me reconhecido pela foto, da próxima vez que nossas asas se tocarem, eu, como bom fisionomista, dou um sinal.

    Que honra saber que gostou do meu puxadinho virtual! E honra maior é fazer parte dos seus Caminhos Literários. Muito obrigado!

    Não vale a mesma coisa, mas seu blog está no meu Navegar é Preciso.

    Abs,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress