Como viver
Categoria: Literatura

Sarah Bakewell escreveu uma excelente biografia de Montaigne, o grande ensaísta francês, estruturada na forma de uma pergunta (Como viver?) e vinte tentativas de resposta. Cada tentativa de resposta tem como guia os próprios ensaios de Montaigne. Reproduzo as tentativas de resposta sumarizadas no sumário (passe a redundância), não resistindo à tentação de uns comentários (entre parênteses).

1) Não se preocupe com a morte (“A morte não é feia / Nem bonita / A morte é onde a vida / Põe um ponto / Um ponto de partida” – Marina Colasanti);

2) Preste atenção (Eu tento. Diria que sou um distraído atento. Ficar muito atento ao que me interessa impõe uma distração enorme para tudo o mais);

3) Trate de nascer (Sujeitos à morte interina do sono, nascemos todos os dias);

4) Leia muita, esqueça tudo que lê e raciocine com lentidão (Isso eu pratico à perfeição);

5) Sobreviva ao amor e às perdas (Ligação direta com o budismo e a impermanência de tudo);

6) Recorra a pequenos truques (A minha cara);

7) Questione tudo (Sou um questionador silencioso. Questiono para dentro);

8 ) Tenha um compartimento privado nos fundos da loja (“Ninguém sabe quem eu sou quando rumino” – Machado);

9) Seja sociável: viva com os outros (Adoro gente, mas sou menos sociável do que desejaria);

10) Desperte do sono do hábito (Acredito que a leitura, uma profunda vivência de alteridade, tenha esse poder);

11) Viva com temperança (Em matéria de moderação, exagerado; em matéria de exagero, moderado. Perfeito, não?);

12) Preserve sua humanidade (“A raça humana é a ferida acesa / Uma beleza, uma podridão” – Gilberto Gil);

13) Faça algo que ninguém nunca tenha feito (Tento não fazer nada, algo completamente inédito);

14) Conheça o mundo (O mundo que mais me interessa conhecer é o que está refletido no espelho da palavra escrita);

15) Faça um bom trabalho, mas nem tão bom assim (Dispensa comentários);

16) Filosofe só por acaso (Penso, logo eis isto);

17) Reflita sobre tudo; não se arrependa de nada (Muito difícil viver sem algum tipo de arrependimento);

18) Abra mão do controle (Tendo freqüentado a escola de minha mãe, tenho muito a desaprender nesse quesito);

19) Seja comum e imperfeito (De tão imperfeito, chego a ser incomum na imperfeição);

20) Deixe a vida responder por si mesma (Viver é a única resposta).


(2)


    Magno
    26 de novembro de 2013

    Adoro estas listas! Geralmente um grande palheiro de senso comum, mas não raro com alguma agulhinha para nos espetar…


    Tarlei
    26 de novembro de 2013

    Perfeito, Magno! E pra dizer o mesmo de modo ligeiramente diferente: no palheiro da auto-ajuda pode se esconder uma agulhinha de alta-ajuda.
    Abs,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress