Flor da idade ©
Categoria: Música

Eis que chego à flor da idade. Amanheci, hoje, já habitando a casa dos cinqüenta. Convém de saída explicar o porquê de, tangendo a lira dos cinqüent’anos, me dizer na flor da idade. Nelson Rodrigues dizia que todo homem devia nascer com trinta anos feitos. Para ele, antes dessa divisa etária todo homem é um imbecil de babar na gravata. Não foi diferente comigo. E seguindo a lógica rodriguiana, precisei viver trinta anos para nascer, o que significa que nasci há apenas vinte anos. Estou, pois, na flor da idade. Por mais que me convenha essa matemática torta, estou mesmo é na meia-idade. Com muito favor do Deus-tempo, estou no meio do meu caminho e cada vez mais em busca do caminho do meio. Uma vez chegado à meia-idade, talvez seja um movimento natural de todo vivente um certo acautelar-se no gastar a vida. É a aguda consciência de que, meio gastos pela vida, não podemos mais gastá-la perdulários. Com a vida pelo meio, ficamos, em geral, meio míopes, meio calvos, meio desmemoriados, meio lentos, meio tontos, meio sem ter muita consciência de que estamos no meio do caminho. Nem é prudente falar em meio do caminho. Somos seres a caminho, estejamos na flor da idade ou na meia-idade. Seja como flor, estar vivo, e cheio de graça, é dádiva em qualquer idade. Viva!

© Nota de canapé: Canção do Chico Buarque.


(12)


    Angela Delgado
    9 de maio de 2013

    Seja super bem-vindo à meia idade! Eu não trocaria o momento presente pelos anos passados, a não ser que pudesse levar comigo toda a bagagem, lucidez, sensibilidade e experiência adquiridas…
    Bem-vindo à idade do Condor (leia-se com dor). Essas dores que vão se insinuando na maior cara de pau. Sem ser convidada, a sra. Dor nas Costas compareceu à minha festa interior e não quer ir embora de jeito nenhum. Em festas alheias, a gente fica sabendo que há Marias das Dores de todo o tipo. Espero que elas não te prestigiem muito.
    Parabéns pela data e um ótimo dia!


    Rosa Amélia
    9 de maio de 2013

    Adorei, Tarlei… Você é 10… Obrigada por essa reflexão! Eu tbm estou no meio do caminho, ou seria a caminho??? Realizamos TRAVESSIAS… Beijin no coração.


    Edna Freitass
    9 de maio de 2013

    muito querido amigo tarlei, votos sinceros de muitas alegrias pra vc. agora, sim, A VIDA (re)COMEÇA! o olhar, com uma lente especial, percebe mais as cores da vida, da poesia, do viver. Beijos literários em seu coração. inté.


    Gracinha
    9 de maio de 2013

    Parabéns, amore! Que esses meio século de vida seja repetido, com muita saúde e muita felicidade. Que a poesia que insiste em brotar de suas palavras venha cada vez mais linda e doce aos nossos ouvidos. Amigo , te amo muito e tudo de bom é o que sempre te desejo ontem, hoje e sempre.Um beijão!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


    Eliane Santos
    9 de maio de 2013

    Amei, Tarlei! Estou até me sentindo mais jovem agora. Como vc pode ser bancário?? Consegue ver as coisas da vida com tanta ternura e poesia!
    bj!


    Hilda Lontra
    11 de maio de 2013

    Em “Seja como flor, estar vivo, e cheio de graça, é dádiva em qualquer idade”, o mais lindo é a ampliação gráfico-semântica de “seja como for” em “Seja como flor”. Tarlei amigo, que você sempre SEJA COMO FLOR: belo, suave, encantador, perfumador do ambiente por onde passa.


    Tarlei
    13 de maio de 2013

    Minha amada mestra Hilda,
    como eu já tive oportunidade de dizer, você é uma polinizadora de almas. E o meu florescimento por escrito deve muito a você. Se eu, de fato, tiver o dom de perfumar o ambiente por onde passo, terá sido por artes do seu poder de polinização. Muitíssimo obrigado!
    Abs,
    Tarlei


    Tarlei
    13 de maio de 2013

    Querida Eliane, eu nada sei. Desconfio que sou bancário por necessidade. E escrevo também por necessidade — esta de outra ordem. Grato por tanta coisa boa que me acontece, tenho um olhar mais que encantado para a vida.
    Abs,
    Tarlei


    Tarlei
    13 de maio de 2013

    Graça da minha vida,
    obrigado pelo sempre carinho!! E vá perdoando o seu amigo mais que relapso.
    Bjs,
    Tarlei


    Tarlei
    13 de maio de 2013

    Minha querida Edna, não há alegria maior do que ser acarinhado por pessoas tão especiais como tenho sido. Muito obrigado! E vamos (re)COMEÇAR, sempre.
    Abs,
    Tarlei


    Tarlei
    13 de maio de 2013

    Minha Rosa,
    é preciso repetir, de tão lindo: “Realizamos TRAVESSIAS”. E as veredas são muitas, às vezes de difícil travessia.
    Bjs,
    Tarlei


    Tarlei
    13 de maio de 2013

    Minha querida Angela,
    muito obrigado pelas boas-vindas! Devo dizer que descerro sem medo a porta da casa dos cinquenta. Quanto às dores do caminho, o que sei é que pretendo não dar prestígio a elas… Como? Sendo um poetador que chega a fingir que NÃO é DOR a dor que deveras sente…
    Bjs,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress