Eu sou trezentos ©
Categoria: Literatura

Chego, não sem espanto, à postagem de número 300 aqui neste espaço. Me admira que eu consiga arranjar tanto tempo, e disposição, e paciência para agarrar com palavras quaisquer acontecimentos ou desacontecimentos. De espanto em espanto, até onde vou? A verdade é que nem me percebo indo para lugar algum. Nem sei por que tudo começou. Menos ainda quando vai acabar. Deixo ao destino. Nada mais faço que me desfolhar desatento, baldio… O que sei é que meu inventário vadio da vida vai crescendo. Recolher para espalhar: eis meu ofício. E às vezes nem me dou ao trabalho de recolher. Só de espalhar. Isso acontece quando o que espalho são os meus vividos, revividos. O inventário é o mais caótico possível porque nele entra tudo que povoa a imensa arca da vida e do viver. Escrevo sem ponto de partida – nem de chegada. “Não sei por onde vou / Não sei para onde vou / Sei que não vou por aí!”. “Só vou por onde me levam meus próprios passos”. E no meu passinho miúdo, vou indo, ora por aqui, ora por ali. Tanto faz se numa direção ou noutra, o que quero é caminhar para o centro da vida. E nada melhor que seguir “caminhando contra o vento, sem lenço, sem documento”. E assim, no meu caminhar baldio e vadio, hoje sou trezentos, logo serei quinhentos, e posso chegar a mil e um… É questão de manter o passo – e o compasso.

© Nota de canapé: Verso de um famoso poema de Mário de Andrade. Pode ser lido aqui.


(5)


    Edna Freitass
    10 de abril de 2013

    muito querido tarlei,
    somos você, seus leitores. somos trezentos! é sua missão, amigo: (re)colher para espalhar, semear. parabéns. abraços literários em seu coração. sempre, edna freitass


    Tarlei
    10 de abril de 2013

    Querida Edna,
    meus leitores são seis, mas é como se fossem trezentos. Mais que leitores, são amigos — e amigos mais que generosos. Sim, tenho seis leitores que valem por trezentos…
    Abs,
    Tarlei


    Angela Delgado
    11 de abril de 2013

    Tarlei chéri,
    Você está sempre se superando. Continue, que estaremos aqui para catar tudo que você espalhar, não é, Edna?
    Um beijo da leitora supervalorizada,
    Angela


    Tarlei
    11 de abril de 2013

    Querida Angela,
    os meus seis leitores é que se superam em generosidade. Mais que isso: supervalorizam as ordinariedades que disponho na tela.
    Um beijo do escrevente supervalorizado,
    Tarlei


    Edna Freitass
    16 de abril de 2013

    Angela,
    SIM!
    Abraços literários procê.
    Inté.
    Edna Freitass






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress