Por um triz ©
Categoria: Música

Tenho dois lados em perfeito desequilíbrio: um muito atento; outro muito distraído. O lado distraído deu de aprontar durante uma prosaica compra na padaria. Assim: costumo me abastecer de água de coco e biscoitos numa padaria próxima ao local do caldo de todo dia. Lá estava eu no caixa pagando as comprinhas da hora quando me vem uma vontade irreprimível de espirrar. E como é bom um espirro daqueles que quase nos viram do avesso! Era um assim que se anunciava. Preparando-me para a apoteose, fecho os olhos, viro pro lado e na hora do espirro triunfal um senhor se materializa na minha frente, não havendo mais tempo de recolher o espasmo estrepitoso. Por um triz os perdigotos da incontida eructação nasal não atingiram o senhor. Acho até que uns respingos não pude evitar, tal o olhar com que o senhor repeliu meu descontrole. E não pude deixar de vê-lo se limpando apressado. Só o que cabia era me desculpar, sem acreditar muito no efeito das minhas desculpas sinceras. O olhar do senhor dizia em alta definição: “Cada uma que me acontece!”. Apesar do incômodo involuntário que causei ao senhor, a cara de horror com que ele se esquivou da minha incontinência nasal teve sobre mim o efeito de cócegas. E por um triz não explodia numa gargalhada. Felizmente consegui segurar o riso – que teria sido tão inconveniente quanto o espirro que não consegui segurar.

© Nota de canapé: Canção do Gilberto Gil.


(3)


    Angela Delgado
    6 de janeiro de 2013

    Será que é contagioso? Estou eu aqui, espirrando. Mas, o meu espirro é uma graça de baixinho. Todos comentam que nunca viram/ouviram um igual.
    E agora, vou virar o ventilador pro outro lado…
    Beijo.


    Tarlei
    6 de janeiro de 2013

    Espero que não, Angela. Também, sendo o seu espirro tão baixinho, ele está mais para “inspirro”. De modo que, se acaso tivesse sido contagiada, quase ninguém perceberia. Quanto a mim, discreto em quase todos os domínios, vou à forra nos espirros. Em busca deles (mentirinha!), estou com o ventilador virado pra mim (verdadinha!).
    Beijo.


    Angela Delgado
    6 de janeiro de 2013

    Só você mesmo, Tarlei. Nunca havia pensado que inspirro. Rs.
    E este calor está brabo, hein? De vez em quando cismo com algumas músicas e ouço-as todo o dia. “Juracy” é uma delas:
    “Eu trabalhei o ano inteiro
    e consegui juntar algum dinheiro
    Fiz uma casa que é um amor
    que tem rádio, geladeira e tem ventilador
    Nossa casinha lá na Marambaia
    fica a dois passos da beira da praia
    E se você achar que lhe convém
    eu lhe garanto tudo isso e o céu também.”






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress