O beco ©
Categoria: Música

As assimetrias sociais estão por toda parte. A Brasília do plano, dona da maior renda per capita do país, convive com a Brasília para além do plano, a Brasília das cidades-satélites, a Brasília dos trabalhadores de baixa renda. Para os trabalhadores dessa casta, a Brasília do plano é um despropósito. Dos despropósitos nascem os improvisos. O improviso de que quero falar assumiu a forma de um beco. O beco de que falo virou praça de alimentação dos trabalhadores de um shopping. O beco – na verdade um pequeno túnel – liga o hipermercado Carrefour a um shopping luxuoso, de preços proibitivos para a maioria dos que lá trabalham. Por conta da regularidade dos meus hábitos, passo pelo beco na hora do almoço. Sendo pequeno o beco e sendo numerosos os trabalhadores, o movimento é intenso. Há vários fornecedores no local. Pelo que percebi de passagem, cada trabalhador já tem o seu fornecedor e tudo é mais ou menos customizado. Embora o movimento seja intenso, os trabalhadores são ordeiros. Vejo-os sempre em fila à espera da refeição encomendada. Admiro essa gente batalhadora. Perto dessa gente, sou um afortunado trabalhador de luxo. E olha a ironia: sendo trabalhadores de shopping, estão sempre muito bem vestidos. As mulheres, além de bem vestidas, estão sempre maquiadas. Por conta do meu desleixo, se me puserem ao lado de um trabalhador de shopping, ninguém acreditaria que sou um trabalhador de luxo, tão estranho é o mundo do trabalho. Passo por eles com o desleixo que me é próprio, maior ainda por ser sábado, e desejo em silêncio um bom apetite. Um dia, se fosse possível, desejaria me juntar a eles. Gosto de me irmanar. Se alguém me vir uma hora dessas traçando uma quentinha, não se espante: “Na hora das comidas, eu sou do camarão ensopadinho com chuchu”.

© Nota de canapé: Parceria de Herbert Vianna e Bi Ribeiro.


(2)


    Marcelo
    15 de dezembro de 2012

    Tarlei, mais um belo texto, que expõe as incongruências do “Plano Pilatos”. Brasilia, vista de longe, transmite uma imagem asséptica, de paz social, mas quando se chega perto, percebemos suas vísceras desiguais. Grande abraço!


    Tarlei
    15 de dezembro de 2012

    Marcelo, mais um belo comentário. Obrigado! “Plano Pilatos” diz tudo.
    Outro abraço!
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress