Transleituras ©
Categoria: Literatura

Preciso repetir o que eu disse antes: “Está tudo escrito. É só ler com atenção”. A tecnologia da leitura é fabulosa. E tudo que é vivo não vive sem ler.

Eu leio a lua cheia que bóia nua no céu.
A lua lê quando é chegada a hora de comandar o movimento das marés.
A maré lê a velocidade dos ventos e a temperatura das águas do mar.
O mar lê o peixe que o navega.
O peixe lê que o mar não tá pra peixe.
O peixe lê que o homem o quer pescar.
O homem lê que tá todo mundo louco.
O louco lê a ordem do caos.
O caos lê a desordem das coisas.
As coisas lêem que a coisa tá preta.
O preto lê todas as outras cores.
As cores lêem o rastro da luz.
A luz lê que é preciso dar a luz.
A luz lê o escuro da morte.
A morte lê a vida.
A vida lê o desfile dos dias.
Os dias lêem as horas.
As horas lêem os minutos.
Os minutos lêem os segundos.
Os segundos lêem a eternidade.
A eternidade lê sem fim.
O fim lê o começo.
O começo lê que devagar se vai ao longe.
O longe lê o perto.
O perto lê que de perto ninguém é normal.
O normal lê que Deus está nas pequenas coisas.
Deus lê o homem e pergunta: Onde foi que Eu errei?
Eu (euzinho) leio que Deus é “uma superfície de gelo ancorada no riso” (Hilda Hilst).

Mas o que eu leio mesmo é que tudo são leituras. Ou melhor: transleituras.

© Nota de canapé: Livro de ensaios do grande poeta José Paulo Paes (1926 – 1998).


(4)


    Angela Delgado
    25 de novembro de 2012

    Tirando a frase que não é sua, o texto está ÓTIMO!!
    Um beijo.


    Tarlei
    25 de novembro de 2012

    Travessuras de um transleitor. Que bom que gostou!!
    Bj,
    Tarlei


    Angela Delgado
    26 de novembro de 2012

    Não sei se houve mal entendido: o que eu quis dizer é que a única frase que não me agradou no texto foi justamente a que não é de sua autoria. Claro que você pode pescar aqui e ali !
    Um bom dia!


    Tarlei
    26 de novembro de 2012

    Querida Angela,
    tudo foi bem entendido. No fim, eu com minhas travessuras de “tarleitor” e você com leve idiossincrasia de “angelectrice”.
    Um bom dia!
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress