Água perrier ©
Categoria: Música

Ainda me divirto ao lembrar certo encontro com uma amiga. Estávamos numa doceria e, na hora de escolher o que beber, e só para fazer pose, pedi água perrier, que só conhecia de fama. Na virada do ano, na casa de outra amiga, passei a conhecê-la também de gosto. E gostei. Não sei se foi pelo gosto da novidade ou se porque pegava bem exibir um certo refinamento de gosto, o fato é que gostei. Desde então vinha desejando comprar água perrier, mas lá onde faço as compras da semana só tinha de 750ml. Até que num domingo desses encontrei água perrier em garrafinhas de 330ml. Comprei. Não sei se porque resolvi beber minha água perrier logo depois de ter comido uma saborosa maçã, o fato é que não gostei. Que ninguém me ouça, mas senti um gosto de água salobra – ou água choca, como diziam os antigos. Em nome da pose, vou manter sempre na geladeira umas garrafinhas de água perrier. Para além da pose, que eu também preciso, devo confessar minha adesão incondicional à água de filtro de barro, como até bem pouco havia na casa de minha mãe. Ela, mais moderna que eu, quis um desses filtros modernos. E agora me deu uma saudade doida de água de pote, daquela que se tomava mergulhando no pote o copo de alumínio. Melhor que isso, só água de mina tomada a mãos ambas – como diria Nelson Rodrigues.

© Nota de canapé: Linda parceria de Adriana Calcanhotto (música) e Antônio Cícero (letra).


(4)


    Angela Delgado
    24 de outubro de 2012

    Depois da água Perrier, experimente a cerveja preta de trigo Erdinger. Não é fácil encontrá-la, mas, se achá-la, beba-a junto com salgadinhos Blue Diamond almonds (a embalagem que tenho é uma latinha com tampa vermelha). Só pra variar um pouco da água de moringa.


    Tarlei
    24 de outubro de 2012

    Queria Angela,
    sem pôr de lado suas dicas, e sendo eu um devoto da simplicidade, preciso dizer que há pouquíssimo espaço na minha vida para sofisticações de qualquer espécie. Ainda assim, as dicas estão anotadas. Ai, que sede que acaba de me dar de água de moringa!!
    Bjs,
    Tarlei


    Angela Delgado
    24 de outubro de 2012

    Você não disse que, em matéria de alimentação, não fazia economias?
    Reli o que você me sugeriu, por achar que sua vida é interessante, emocionante e linda!
    Um beijo.


    Tarlei
    25 de outubro de 2012

    Eu digo tanta coisa, Angela. Aí me lembro de uma frase do Fernando Pessoa, que cito de (des)memória: “Falar é a melhor maneira de nos tornarmos desconhecidos”.
    Só você mesmo pra constelar com palavras tão generosas o miúdo chão onde piso!! Obrigado!
    Bj,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress