Como nascem os anjos ©
Categoria: Cinema

Não sei se sou merecedor. O que sei é que Deus tem posto verdadeiros anjos salvadores na rota dos meus descaminhos. Curvo-me mais que agradecido. Hoje quero falar de apenas dois deles: o Vilhena e o Sr. Evandro. O Vilhena é para as urgências internéticas. O Sr. Evandro é para as urgências domésticas. A urgência doméstica da vez era pregar o apoio do estrado da cama – que apareceu despregado logo depois da visita da diarista e me obrigou a mais de três semanas de colchão no chão. O Sr. Evandro, que conheci indicado por um amigo, já tinha me socorrido em outras urgências. Fazia tempo que não me socorria dele, espécie rara de anjo-faz-tudo. E por fazer tanto tempo que não o procurava e por ser um serviço tão pequeno, receei que ele recusasse meu chamado. E eu o teria compreendido. Não foi o que se passou. O Sr. Evandro ficou de me dar retorno no dia seguinte, confirmando o horário em que poderia me atender. Nada no dia seguinte e nos demais. Meio sem jeito, ainda assim o jeito era reiterar o chamado. Antes disso acontecer, pisca no celular a mensagem de uma amiga: era um recado do Sr. Evandro pedindo para eu ligar para ele – ele tinha anotado errado o número do meu celular e não tinha conseguido falar comigo. Não sei que idade tem o Sr. Evandro, mas não parece ter idade suficiente para ter os cabelos brancos (todos) que tem. Gosto muito do Sr. Evandro. E porque sei que ele precisa, por essa urgência ele me cobrou “x”, eu paguei “2x”. E contente. E gosto de oferecer um agrado – agrado que nunca tenho em casa. Dessa vez, porque era hora do almoço, ofereci uma maçã e uma pêra para a sobremesa do Sr. Evandro. Um nada que parece fazer tanta diferença!!

O outro anjo é o Vilhena, a quem acho que dei mais trabalho, nos dois sentidos. Não bastasse dar trabalho, ainda dei uma pisada na bola com ele, pondo em dúvida uma explicação sobre um pedido que fiz para o blog. Por esse deslize imperdoável, temi perder os favores desse anjo. Graças a Deus – sempre Ele –, o anjo do Vilhena não me deixou à própria sorte. Em troca, promovi-o a querubim, o topo da hierarquia dos anjos, a se acreditar na Wikipédia. Como quer que seja a designação correta, o Vilhena ocupa o topo da hierarquia dos meus anjos. Também com o Vilhena procuro ser generoso, sempre oferecendo um “x” a mais em relação ao que ele me cobra.

Benditos esses dois anjos! Benditos todos os anjos que velam por mim! Eu não mereço – mas preciso tanto!!

© Nota de canapé: Filme do Mauro Salles.


(4)


    Edna Freitass
    9 de outubro de 2012

    Muito querido Tarlei,
    Anjos existem. Tenho Anjos. Anjos são amigos.
    O Vilhena, desconfio de que ele ainda será um de meus Anjos.rsrs
    Inté.


    katia simoes fletcher
    10 de outubro de 2012

    Tarlei,
    Você é o anjo que temos por perto…Tá fazendo mta, mta falta!!!Também precisamos mto! Bj.


    Tarlei
    10 de outubro de 2012

    Olá, querida!
    Estou longe de ser anjo. Em todo caso, sendo verdade o que disse uma amiga em comentário a esse post (“Anjos são amigos”), e eu desconfio que seja, somos (os colegas todos) uma confraria de anjos porque somos amigos. É o que importa.
    Bjs,
    Tarlei


    Tarlei
    10 de outubro de 2012

    Querida Edna,
    concordo total: anjos são emissários que nos chegam em forma de amigos. Tenho amigos. Amigos são anjos.
    O Vilhena é um anjo muito solicitado. Tendo-o como mais um de seus anjos, pode ter certeza: você estará muito bem de anjo.
    Abs,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress