Só louco ©
Categoria: Música

Só louco pra continuar escrevendo esses textos sem quê nem pra quê. Só louco pra achar que vale a pena preencher o vão das horas com nonadas. Só louco senta-se à mesa de um café, como agora estou, em busca do que contar. Só louco ama tanto a vida a ponto de querer guardar fragmentos dela no estojo das palavras. Só louco olha para o que ninguém ouve e ouve o que ninguém vê. Só louco escreve qualquer coisa todo santo dia, tendo ou não o que contar. Só louco gasta o tempo que for preciso em busca de uma palavra sob medida para vestir um acontecimento ou um sentimento. Só louco pra pôr no altar da página as ocorrências mais miúdas. Só louco pra ter escrito mais de duzentos posts e não ter idéia de quando isso vai parar. Só louco pra farejar o cotidiano com tanto interesse. Só louco pra se encantar com o cortejo de ninharias que povoa a vida real. Só louco pra escrever tanto, mesmo sem ter nada a dizer. Só louco pra praticar essa escrita errática que vai do nada a lugar nenhum. Só louco de água e estandarte pra ver tanta graça na vida. Só louco(a), você, raro(a) leitor(a), pra achar graça no que escrevo. Tem toda razão Caetano: “De perto ninguém é normal”. Ah, vida louca!

© Nota de canapé: Canção do Buda Nagô (assim Gil o batizou em uma linda canção) Dorival Caymmi. Gal Costa gravou lindamente.


(8)


    Angela Delgado
    8 de setembro de 2012

    Esses mais de duzentos posts, se bem que nem precisava tanto, já estão te levando a muitos corações e, como disse Italo Calvino,”A palavra associa o traço visível à coisa invisível, à coisa ausente, à coisa desejada ou temida, como uma frágil passarela improvisada sobre o abismo.”
    O mundo precisa de mais “loucos” como você.


    Edna Freitass
    8 de setembro de 2012

    Muito querido Tarlei,
    Só louco! É preciso SER. Seja, continue Louco! O louco percebe o invisível, o indizível. É missão do Louco dizer, desdizer, escrever, ler, apagar…. loucuras do Louco. Precisamos – seus leitores – de vc para, na espreita, prescrever essas loucuras aqui, neste puxadinho palácio, neste chão de estrelas. Adorei suas loucuras de hoje, de ontem. Sua fã, Edna.


    Tarlei
    10 de setembro de 2012

    Querida Edna,
    é bem capaz de eu enlouque-SER com tanta generosidade. Obrigado!
    Abs,
    Tarlei


    Tarlei
    10 de setembro de 2012

    Querida Angela,
    sou apenas um “louco no oco sem beiras”, para citar o título de um livro. Adorei a citação do Calvino. Diga-me, por favor, em que livro está?
    Abs,
    Tarlei


    Angela Delgado
    11 de setembro de 2012

    Meu querido,
    Não sei se em “Seis propostas para o próximo milênio”. Passarei a anotar também o nome do livro de onde costumo fazer pescarias. De qualquer modo, está no incipit de um dos meus livros. Desculpe, não podia deixar passar essa (rs). “Se um viajante numa noite de inverno” é um dos melhores livros que li; “Marcovaldo” e “O Barão nas árvores” também são muito bons. Só não gostei de “Especulação Imbiliária”. Pra falar a verdade, nem consegui ler o livro todo, por incrível que pareça.
    Italo Calvino é um dos meus autores prediletos.


    Tarlei
    11 de setembro de 2012

    Minha querida,
    sempre que me defronto com minha insuficiência de leitor, e isso acontece todos os dias, lembro-me desse trecho de poema do Drummond: “(…) Nem sequer li os textos das pirâmides, (…) estou atrasadíssimo nos gregos, (…) como é que vou chegar (…) à poesia de vanguarda e às glórias do 2000, que telefonam?”. Declarado o meu drama, é hora de agradecer pelas dicas todas: obrigado!
    Abs,
    Tarlei


    Angela Delgado
    12 de setembro de 2012

    Insuficiência de leitor? Você está sempre citando os grandes…
    Mas, já, já você se aposenta e vai se esbaldar.
    Um abraço.


    Tarlei
    12 de setembro de 2012

    É uma insuficiência de todos nós, leitores. Há um descompasso imenso entre o que desejamos e o que conseguimos ler. Quando eu puder me dedicar ao ofício do ócio, espero pôr em prática uma frase do Artur da Távola: “Um dia lindo é um dia lendo”.
    Abs,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress