A arte de ser leve ©
Categoria: Literatura

Uma frase: “Quem não vive para servir, não serve para viver”. Embora a frase venha vestida com os trajes do lugar-comum, é preciso reconhecer a verdade que ela traz inscrita em si. Cada qual tem sua própria travessia a cumprir, cada qual tem de carregar sua própria bagagem. Mesmo cuidando da própria bagagem, nada impede que procuremos aliviar, sempre que possível, a bagagem do outro. E se não pudermos aliviá-la, que ao menos não sejamos nós a aumentar-lhe o peso. Segundo Gabriel Perissé, vivemos regidos por um individualismo de massa. Triste essa constatação porque a vida que conta é aquela que tem a cooperação mútua como princípio. Mesmo quando a vida põe no nosso caminho pessoas dispostas a aliviar o que nos pesa, a vida ensina que a luta é sempre com a gente. O que mais me anima a enfrentar o que tenho de enfrentar não é saber que posso contar com uma mão amiga (ainda que isso conte muito), mas ver a leveza com que certas pessoas carregam o que para mim parece muito pesado. Isso me dá uma tremenda força. Por isso o egoísmo é tão nefasto. Se olho só para mim mesmo, assumo aquela postura fatalista, como se meus ombros suportassem o peso do mundo. Se se aprende a olhar para o lado, pode-se não só aliviar o próprio peso, como ainda perceber que se pode aliviar o peso do outro. Se eu pudesse pleitear para mim a excelência em alguma arte, apenas esta me bastaria: a arte de ser leve, não importando o peso do fardo que tivesse de carregar. Desconfio, até, que não existem fardos pesados.

© Nota de canapé: Livro da jornalista Leila Ferreira.


(4)


    Edna Freitass
    15 de agosto de 2012

    Muito querido Tarlei,
    Ao ler sua postagem de hoje fui transportada para as páginas do MINUTOS DE SABEDORIA. O correr dos olhos pelo texto foi enchendo meu coração de leveza; da certeza de que ser leve é possível; que a vida pode ser, sim, leve. Inté.


    Tarlei
    15 de agosto de 2012

    Querida Edna,
    há palavras que deixam a gente, sim, mais leve — feito as suas. Obrigado!
    Abs,
    Tarlei


    Danielle
    16 de janeiro de 2014

    Bom dia, Tarlei! Adorei. Vou acompanhar melhor suas escrituras. Vale a pena. Abraço,
    Dani


    Tarlei
    16 de janeiro de 2014

    Oi, Dani!
    Escrituro miudezas, ninharias, quase nada. Fico contente que tenha gostado. Apareça sempre!
    Abs,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress