Todoprosa ©
Categoria: Literatura

Olha o que li num texto da escritora Maria Esther Maciel: “(…) a prosa está para o ato de andar assim como a poesia está para o ato de dançar”. Embora eu goste de dançar, taí a razão por que acho o código da poesia de tão difícil acesso, seja para ler, seja para escrever. Leio pouca poesia, mas apaixonadamente; não me atrevo a escrever, exceto alguns versos de circunstância.

Andar é o movimento natural do corpo. A prosa é o caminho natural da escrita. Dançar é uma possibilidade do corpo – assim como se fosse uma rima para o movimento. A (alta) poesia é uma possibilidade da língua – e é para muito poucos. Daí por que me sinto tão à vontade na prosa e nada à vontade na poesia. Eu gosto de contaminações poéticas na minha prosa miúda, fragmentária. Eu procuro, sempre, jogar no tecido da prosa algumas tintas de poesia. Mas tudo disperso, casual… E me satisfaço com esses lampejos poéticos que às vezes vêm iluminar minha prosa chã. E se às vezes consigo pincelar alguma poesia no que escrevo, isso vem de eu também gostar de dançar. Contudo, não há termo de comparação entre o tanto que ando e o tão pouco que danço. Ando muito – daí a prosa desenfreada. Danço pouco – daí a poesia escassa.

Sou todo prosa e estou todo prosa por causa da sexta-feira. Por falar, um ótimo final de semana.

© Nota de canapé: Blog do escritor Sérgio Rodrigues, há anos referência de qualidade na blogosfera.


(2)


    Marcelo
    14 de agosto de 2012

    Muito interessante o paralelo estabelecido entre o ato de andar e de dançar com a natureza da poesia e da prosa.
    Penso que a poesia busca o núcleo de tudo, tentando alcançar o berçário dos sentimentos primais; daí a razão de ela ser por vezes hermética e pouco inteligível. Mas acho que o legal é quando ela consegue expressar as suas sombras de uma forma ensolarada (objetiva).
    Já a prosa tem o caminhar sem compromisso, como quem passeia à beira-mar, recolhendo pela vida a riqueza transbordante, o burburinho das esquinas e um calor que não termina.
    Abraços.
    Marcelo Ottoni


    Tarlei
    14 de agosto de 2012

    Marcelo,
    que belo comentário! Adorei isso: o legal da poesia “é quando ela consegue expressar as suas sombras de uma forma ensolarada”. Perfeito!
    Obrigado pela visita!
    Abs,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress