Relicário ©
Categoria: Música

Perseverando no ofício de guardar as “pedrinhas apanhadas no rio do cotidiano” (Eustáquio Gomes), acabo de alcançar as duzentas postagens aqui neste puxadinho virtual. Sem quase me dar por isso, venho enchendo de nonadas minha arca, venho fazendo crescer meu relicário do ordinário, não me esquecendo de que é nas dobras do ordinário que se esconde o extraordinário. Porque é disso que se trata: ficar atento ao (extra)ordinário que pousa “no chão breve do cotidiano” (Alexandra Rodrigues), cuidando de puxá-lo para dentro das palavras. E para dar conta da brevidade do que apanho, nada melhor que esses textos breves, leves, que pousam beija-flor no chão da página e depois viram nuvens de bits viajando invisíveis pelo ciberespaço sideral. Mesmo breves, leves, pretendo que meus escritos de circunstância consigam “recolher da vida diária algo de seu disperso conteúdo humano” (A última crônica, Fernando Sabino). Mais não quero. Nem menos. Assim seja!

© Nota de canapé: Canção do Nando Reis.


(6)


    Diogo
    11 de julho de 2012

    Espero que você chegue a 1 milhão. São muito gostosos seus textos.

    Parabéns, Tarlei!


    Tarlei
    11 de julho de 2012

    Obrigado, Diogo!
    Sei que devagar se vai ao longe, mas não tão longe assim (rsrs…). Tirando-se o “hão” do “milhão”, quem sabe!!!
    Abs,
    Tarlei


    Monica Pinheiro
    13 de julho de 2012

    Lindo texto, Tarlei. Gosto muito da beleza leve e sábia do seu “puxadinho virtual”, que sempre me faz sorrir interiormente.


    Tarlei
    17 de julho de 2012

    Generoso comentário, Monica. Agradeço que enxergue leveza e sabedoria no que escrevo. Isso diz mais da sua generosidade e menos de eventual mérito meu. Obrigado!
    Abs,
    Tarlei


    Janice
    2 de agosto de 2012

    Tarlei, sempre acreditei no seu sucesso com as letras, na sua habilidade com as palavras. Mesmo ganhando a vida com números, você conquistou o seu espaço literário “livre, leve e solto”. Hoje é um puxadinho virtual. “Dia desses” será a obra do poeta da modernidade cibernética. E viva o puxadinho!!! “Postado em verso, postado em prosa!” …e que venham mais 200 mil. Tempo você terá, criatividade lhe é nata, então, “mão na massa”. Estarei aguardando cada “post”, sempre com um sorriso diante da tela. Muitos beijos e parabéns!


    Tarlei
    2 de agosto de 2012

    Minha querida Janice,
    diante de tamanha generosidade, tenho de me segurar pra não ficar todo prosa — e verso… rsrs…
    Se a sina de um contador é lidar com fatos contábeis, eu cuidei de achar um desvio nessa rota e virei um contador de histórias que adora lidar com fatos contáveis.
    Bjs,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress