De alma leve ©
Categoria: Literatura

O mantra da maioria é: eu quero é mais. O meu é: eu quero é menos. Claro que o sentido desse “mais/menos” repousa no “ter”. Quando se trata dos domínios do “ser”, aí, sim, quero mais. No mais, quero menos. Em matéria de “ter”, vale lembrar a sábia observação do Millôr Fernandes: “O importante é ter sem que o ter te tenha”. Em matéria de querer menos, caminho na direção desses versos do poeta José Paulo Paes: “Para quem pediu sempre tão pouco / o nada positivamente é um exagero”. E se eu chegar a esse nível de desapego, poderei, enfim, subscrever estas palavras do José Saramago: “Talvez por nunca ter querido nada, tenho tudo”. A prática do desapego é um caminho seguro para a felicidade, felicidade que, segundo uma máxima latina, “é desejar o que se pode, e poder o que se deseja”. Tudo o que desejo é poder viver de alma leve, sempre aferindo se na bagagem não há pesos inúteis que podem ser eliminados. O budismo fala em caminho do meio como medida de equilíbrio. Eu proponho o caminho do menos. Acredito que na vida, tal como na matemática, menos com menos dá mais. Exemplos: menos gula com menos caloria dá mais saúde; menos ambição com menos competição dá mais leveza; menos apego com menos desejo dá mais contentamento; menos trabalho com menos pressa dá mais ócio etc. Ter mais com menos é tudo que quero. E esse tudo virá de eu nada querer, o que me lembra esta frase: “Eu não tenho nada e nada me falta”. Melhor que isso, só estes versos do Fernando Pessoa/Ricardo Reis: “Quer pouco: terás tudo. Quer nada: serás livre”. Hoje não quero nada além de um excelente fim de semana para mim e para todos! Isso é querer muito?

© Nota de canapé: Livro da jornalista Joyce Pascowitch.


(4)


    Angela Delgado
    12 de agosto de 2012

    “O que o vento não levou”. Que coisa mais linda!
    O que está dentro da gente está bem resguardado de qualquer ventania, graças a Deus.
    Não é querer muito desejar um fim de semana excelente, e como as palavras têm poder, espero que você esteja tendo esse desejo realizado, hoje e sempre.


    Tarlei
    12 de agosto de 2012

    “O que está dentro da gente está bem resguardado de qualquer ventania”. Que coisa mais linda!
    Com a brisa de palavras tão generosas soprando na minha direção, não há secura que resista! O domingo não podia estar melhor.
    Abs,
    Tarlei


    alexandra
    13 de agosto de 2012

    Fico tão feliz de ter proporcionado um encontro entre duas pessoas tão especiais que se inscrevem na palavra com verdadeira paixão e dialogam sobre o que o vento não levou, sobre aquilo que, dentro da gente, está resguardado de qualquer ventania! E esse vento que destelha ideias, e essa brisa que faz as folhas bailar em espiral dentro da gente…

    Beijo-lhe a bainha da espada.
    Alexandra


    Tarlei
    13 de agosto de 2012

    Querida Alexandra,
    e o que dizer dessas palavras que fazem meu coração abrir-se todo em gratidão? À falta de palavras, o coração se guarda num silêncio pra lá de agradecido.
    Bj,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress