Folhetim
Categoria: Música

(PSiu: por desnecessária que seja a explicação, não custa advertir que este post brinca com a estrutura da letra da belíssima canção “Folhetim”, do Chico Buarque. Não tive preocupação de rima, só de estrutura.)

Raro leitor,

se acaso gostares do que escrevo, saiba que sou desses escribas que só dizem tolices, qualquer “coisa à toa” sobre a vida – que é boa –, sobre os feitos, malfeitos, desfeitos… E se tiveres paciência, ofereço uma “prenda, qualquer coisa assim” – como uma mentira falsa, uma verdade de fantasia, ou a metade de uma e de outra. E eu te farei provocações. Direi meias mentiras, sempre com as feições cândidas. E te farei, mentiroso, supor que digo verdades, que falo sério e que quero ser levado a sério. Mas no post seguinte, sigo com o mesmo acinte: não me afasto de mim. Sei que não valho nada, e vou sempre revirar a mesma página do meu desgastado folhetim.


(7)


    Janice
    7 de junho de 2012

    Maravilha! Totalmente espontâneo. Muito criativo. Bj. Janice


    Tarlei
    7 de junho de 2012

    Que bom que gostou, Janice! Adoro inventar moda.
    Bj,
    Tarlei


    Edna Freitass
    7 de junho de 2012

    Tarlei,
    Você é mesmo um inventador! Inventador de um jogo encantador de palavras. Palavras que encantam seu leitor. Abraços procê.


    Tarlei
    7 de junho de 2012

    Obrigado, Edna. Fico encantado com sua desmedida generosidade.
    Abs,
    Tarlei


    Angela Delgado
    18 de setembro de 2012

    Uma graça de página. Adorei!
    Beijos.


    Tarlei
    18 de setembro de 2012

    Página que viro e reviro. Um espanto que ache graça nela.
    Bjs,
    Tarlei


    Angela Delgado
    19 de setembro de 2012

    Como espanto?! Esqueceu-se que é da sua lavra?
    E não fui a única a me encantar com ela.
    Bjo.






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress