A arte de tecer o presente ©
Categoria: Literatura

É com a linha do tempo que tecemos o nosso presente. E o bordado da vida vai-se fazendo ponto a ponto, dia a dia. Num primeiro momento, não temos condições de assumir o próprio bordado. Somos bordados pelas mãos que cumprem o ofício de dar curso ao fio da vida. Muitos fios depois, chega o tempo de tomarmos nas próprias mãos a autoria do bordado. O que foi bordado, bordado fica. Não há jeito de corrigir o traço feito. Sabedores disso, devemos nos empenhar no traço em curso, cuidando para que o desenho que vamos fazendo de nós esteja alinhado com aquele que trazemos aninhado na alma. Temos de ir comparando um e outro e fazer os ajustes possíveis no risco do bordado. O bordado dura enquanto a linha do tempo passar pela agulha do corpo. O cruel é que, usando de empréstimo a linha do tempo, o fim dessa linha sempre nos surpreende antes de podermos dar o ponto final no bordado. Sujeitos a essa imprevisibilidade, cada ponto dado pode ser o último. E se assim é, devíamos procurar fazê-lo bem feito. Tecelões muitas vezes pouco aplicados, fiamo-nos muito no tempo que já passou ou no que virá – um e outro existindo só como memória ou como esperança. Só o que temos é o presente. E viver deveria ser, tão-só, a arte de tecer o presente.

© Nota de de canapé: Livro da jornalista Cremilda Medina.


(4)


    Angela Delgado
    31 de agosto de 2012

    Muito boa essa sua crônica, mas não podemos nos esquecer de que os pontos desse bordado da vida começaram a ser feitos no ontem, e para que ele se complete temos que nos munir de material adequado, para não ficarmos desprovidos de tudo o que demanda essa importante tarefa.
    Esse tema também foi belíssimamente enfocado por um poeta, que está no meu blog. Vale a pena conferir!


    Tarlei
    31 de agosto de 2012

    Angela,
    tecelão incansável, levo a vida a tecer — até ser.
    Me diga, por favor, quem é esse poeta! Quero conferir.
    Abs,
    Tarlei


    Angela Delgado
    1 de setembro de 2012

    Se fizer uma concessão às suas pendências e me visitar em http://www.bisous-angela.blogspot.com, encontrará Helcio Maia, que é como você: Está colocando diariamente sorrisos em meu rosto e na minha alma.


    Tarlei
    1 de setembro de 2012

    Querida Angela,
    já fiz lá no seu blog o meu mea-culpa. Obrigado por trazer a luz das palavras do Helcio para perto de mim. Obrigado por ser essa admirável pescadora de pérolas!
    Abs,
    Tarlei






© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress