O Rei Leão ©
Categoria: Cinema

Ontem a memória me fez o desfavor de lembrar que estou em dívida com o Rei Leão. Já não dá mais pra ficar indiferente aos seus rugidos. De nada adianta querer alisar sua juba e contar que haja uma dilação do prazo. É 30.04 ou multa. Apesar de relapso, não me agrada fugir às minhas obrigações. Lá vou eu ter de procurar a papelada para prestar contas do que o Leão já está cansado de saber. Procuro deixar tudo no mesmo lugar, mas costumo me esquecer de qual é esse lugar. Acho um absurdo que os órgãos reguladores, sabendo tudo da nossa vida financeira, ainda assim nos obriguem à prestação de contas. Dá licença! Ninguém merece! Mas lei é lei. E rei é rei. E nós, súditos, temos de obedecer. Talvez a minha enorme preguiça venha de saber que estou fazendo algo inútil. No mínimo, a declaração de renda devia ser facultativa. Já pago imposto na fonte. Isso devia bastar para saciar o Leão. Ter restituição? Não me interessa. Prefiro, de longe, menos dinheiro em troca de menos aporrinhação. Quando é que isso vai acabar? Admiro, na mesma medida em que odeio, quem entrega declaração no primeiro dia. Odeio, na mesma medida em que admiro, quem entrega declaração no último dia. Para os últimos, este consolo: se há que se render ao jugo do Leão, que seja na última hora. É difícil entender essa minha resistência porque, quando decido enfrentar a fera, em meia hora liquido tudo. No fundo, acho que sou eu mesmo a fera mais difícil de enfrentar. Que se há de fazer?

© Nota de canapé: Filme que encantou, em passado recente, crianças de todas as idades.


(0)





© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress