Missão do bibliotecário ©
Categoria: Literatura

(PSiu: Hoje é o Dia do Bibliotecário)

Faz dois meses que a cultura de Brasília perdeu um de seus nomes fundamentais: Conceição Salles. Essa mulher admirável esteve à frente da Biblioteca Demonstrativa de Brasília (BDB) por mais de 25 anos. Na verdade, a Conceição estava toda na BDB, não apenas à frente, tal era a paixão que devotava a seu ofício. Há profissionais que concentram em si todo um ideal de profissão. Conceição era dessa estirpe. Estive em presença dela uma única vez. Foi num sarau do Núcleo de Literatura da Câmara realizado nas dependências da BDB. Conceição abriu o sarau dando a todos as boas-vindas e prometendo para breve a ampliação do espaço da BDB destinado a eventos culturais. Além das boas-vindas, Conceição brindou-nos com um texto de sua lavra lido comovidamente. Não foi preciso mais que esse único encontro para eu ter a dimensão da grandeza da Conceição. Essa grandeza foi captada por dois jornalistas mestres na arte de guardar vidas no estojo das palavras: Conceição Freitas e Marcelo Abreu – não deixe de ler, aqui, o que escreveram. E no estojo da minha memória lá está guardada a Conceição Salles, a quem reverencio como símbolo de alguém que cumpriu com paixão exemplar a missão do bibliotecário.

© Nota de canapé: Livro do espanhol José Ortega y Gasset.


(0)





© 2017 - ArteVida – A vida sem a arte é insustentável – Blog do Tarlei Martins - todos os direitos reservados
Design: V1 Digital - desenvolvido em WordPress